fintech-1024x576
A transformação nada espontânea do setor bancário
maio 27, 2020
solutis salesforce crm gestao do relacionamento pandemia 750x500
Como a pandemia impacta a gestão de relacionamento
junho 3, 2020

Afinal, o que é necessário para ter um time ágil?

solutis digital blog agile scrum lean 750

De uma maneira geral, metodologias ágeis possibilitam que os desenvolvedores se adaptem e respondam a mudanças ou situações imprevistas com pouca interrupção – e também promovem uma colaboração eficiente entre times multifuncionais para que seja possível obter êxito nos resultados. No entanto, montar grupo de desenvolvimento ágil não é o que se pode chamar de tarefa simples.

Em outras palavras, isso quer dizer que não existe uma fórmula específica. Alguns implementam SCRUM, outros utilizam Kanban e a pergunta que não quer calar é: como se desata esse nó górdio para que seja possível montar uma equipe ágil com sucesso?  Muito bem – um time de desenvolvimento ágil é formado por profissionais tecnicamente qualificados, que possuem boa comunicação entre si, valores em comum e que estão sempre em busca de aprimoramento.

Certo. Mas essas características, por si, são mesmo suficientes? A resposta é não. Porém, no fim das contas, pode-se dizer que constituem a base necessária para a formação de uma time ágil. Muito bem – a ideia aqui, portanto, é mostrar as razões pelas quais um grupo assim é tão importante para elevar a produtividade por meio de um processo assertivo, que proporcionará excelentes resultados e entregas rápidas.

Estágios de relacionamento

Evidentemente, é necessário algum tempo para que a equipe possa se ajustar – e, com o objetivo de proporcionar uma compreensão melhor a respeito do tema, alguns estudiosos dos métodos ágeis costumam utilizar os estágios de desenvolvimento propostos pelo Modelo de Tuckman. Vamos lá:

  • Forming – o grupo precisa ter suas funções e responsabilidades muito bem definidas;
  • Storming – já existe um entendimento maior a respeito dos papéis de cada um, mas há uma certa fragilidade porque a metodologia ainda não está inculcada nos membros do time;
  • Norming – cada membro está ciente do que deve fazer, os relacionamentos já estão sedimentados e o trabalho passa a fluir;
  • Performing – a equipe já está alinhada e é produtiva com supervisão mínima.

Quais são as características de um time ágil?

A colaboração é uma das aspectos mais relevantes em uma equipe ágil. Todos trabalham juntos no produto para assegurar que os projetos sejam desenvolvidos da melhor maneira possível. Os feedbacks, por sua vez, garantem sua realização com eficiência e rapidez – e indicam, com clareza, o caminho para atingir os resultados esperados, uma vez que o time está integrado ao cliente.

Outra característica importante é a flexibilidade, ou seja, a capacidade de adaptação dos membros do time para reagir rapidamente a mudanças – e esse fator indica a maturidade para lidar com contingências e, ao mesmo tempo, manter o foco na conclusão do trabalho. Já o envolvimento total, em meio a uma cultura de comunicação aberta, compartilhamento e cooperação, em que as opiniões e críticas são recebidas de maneira inteligente e com mentalidade aberta, é outro traço marcante em equipes ágeis.

Finalmente, a confiança, elemento basilar para que exista, de fato, colaboração e  transparência em meio a todos os processos.  A conclusão, portanto, é que um grupo com tais características necessariamente deve ser composto por pessoas talentosas, capacitadas tecnicamente e com habilidade para trabalhar em grupo.

Produtividade = entregas rápidas + valor agregado

Tudo isso significa que times ágeis são engajados e motivados. Adotam uma abordagem de planejamento e execução iterativa e incremental. Utilizam sprints de desenvolvimento curtos. E se concentram na melhoria contínua dos processos com o objetivo de identificar inconsistências, erros e problemas ao longo do desenvolvimento de projetos. O resultado, assim, é o aumento da produtividade e, consequentemente, a satisfação do cliente por meio de entregas rápidas e com mais valor agregado.

Empresas ágeis vão além da TI

Vale refletir, ainda, que atualmente empresas em diversos segmentos – e não apenas de TI – têm adotado métodos como Agile, SCRUM, Lean e Design Thinking para entregar valor a seus clientes e acelerar a jornada rumo à transformação digital. Entretanto, nunca é demais reforçar que tal iniciativa, não importa a área em que a organização atue, requer uma intensa mudança cultural – processo que leva tempo e necessita do comprometimento de todos, a partir da liderança.

Para todos os efeitos, porém, quanto há engajamento total para realizar essa transformação, o êxito ao implantar metodologias ágeis se traduz em mais produtividade, integração entre equipes, aprimoramento de performance, processos simplificados que fluem com mais facilidade, capacidade para reagir rapidamente a mudanças, foco em resultados e, consequentemente, maior competitividade. Ou seja, todos saem ganhando.

 

Publicações