case chatbot inteligencia artificial
Aplicativo otimiza atendimento a mais de 500 mil usuários
julho 12, 2019
gamification gestao de pesoas
Gameficação e atração de talentos: o match perfeito
julho 18, 2019

Lean e Agile: requisitos para a Transformação Digital

lean-thinking-agile-transformacao-digtal-solutis-001

É preciso que se entenda – e não há outra maneira de dizer isto: a transformação digital, nos dias de hoje efervescente em empresas e organizações (com impacto direto na maneira como os negócios são realizados) passa, necessariamente, por Lean e Agile. E isso quer dizer, de uma maneira simplista, que é preciso reformular a maneira de entregar valor e garantir a satisfação de clientes. Mas como?

Agile e transformação digital

O AGILE ou a metodologia ágil parte da premissa ou necessidade de tornar processos de negócios mais ágeis. Nasce para reorganizar o desenvolvimento de software e passa a permear toda a organização. E por que torna-se peça fundamental na jornada digital das empresas? Porque responde a uma das necessidades das organizações que se vem lançadas nos desafios desse novo mundo: o “Time to Market”.

O pensamento ágil, e metodologias e frameworks, possibilita uma melhor gestão de demandas, alinhando melhor backlog com a visão de prioridades e foco no que leva aos resultados mais cruciais primeiramente.

Outro aspecto a se observar é o engajamento. Agile transforma silos em equipes integradas. Quando se trabalha em silos, os silos resolve problemas de silos, demandas parciais. E nem sempre o todo ganha. Com essa nova visão, todos estão focados em resolver o todo e essa é uma necessidade intrínseca da transformação digital. Pode olhar para um processo, para uma experiência ou para o modelo de negócio em si. Mas, no fundo o que se está buscando é ajustar o posicionamento, a competitividade e a perpetuidade da organização.

Lean Thinking e Transformação Digital

Pode parecer óbvio, mas não é. Independente de sua ambição digital, a jornada que você e sua empresa iniciaram ou estão iniciando resultaram ou resultarão em inúmeras necessidades e frentes de transformação. O que, sem o devido tratamento e cuidado, pode significar num alto esforço e investimento, que podem até não trazer os resultados desejados.

Essa jornada digital só se iniciou ou irá se iniciar por dois motivos: 1) racionalizar a operação ou o modelo de negócios e 2) garantir novos mercados, novas oportunidades de suplantar a concorrência e gerar mais negócios, receitas.

E Lean Thinking é fundamental para escolher no que se esforçar e eliminar os desperdícios ou focos equivocados.

Enfim, o mindset ágil se estriba sobre os seguintes pilares: “mais indivíduos e ações que processos e ferramentas”; “software funcionando, mais do que documentação abrangente”, “mais colaboração com o cliente do que negociação de contratos” e “mais do que seguir a um plano, responder às mudanças”. Certo. A abordagem Lean, por sua vez, enfoca o valor e extirpa qualquer aspecto supérfluo do projeto (ou seja, é preciso manter o olhar sobre aquilo que é, de fato, importante.  E descartar o resto).

Lean e Agile: abordagens complementares

Ou seja, essas abordagens fazem com que seja possível reagir com rapidez a qualquer contingência no mercado – e, por consequência, mitigar eventuais circunstâncias que possam afetar negativamente os resultados.  Ok, mas e aí? O que isso significa? Significa que é preciso integrar todos os componentes que estejam envolvidos em um ciclo de desenvolvimento. Há uma outra forma de dizer isso, aliás: Lean e Agile complementam um ao outro.

E vale ressaltar, também, que por meio desses ciclos, o risco de uma entrega que não esteja alinhado ao que o cliente espera em termos de qualidade e usabilidade, bem como em relação à capacidade de de atingir seu público-alvo, é dramaticamente reduzido. Vamos lá: a integração das partes envolvidas no ciclo de desenvolvimento de um produto é condição sine qua non em um ambiente que utilize as duas abordagens, certo?  Então, agora é hora de destacar que as duas abordagens, entre outros aspectos, enfatizam a colaboração entre equipes.

O melhor para sua jornada digital

Sim, existem vários pontos convergentes nas duas abordagens,  e ambas estão abertas às mudanças nos projetos por intermédio de curtos ciclos de entrega em meio a um processo de desenvolvimento enxuto (e, claro, sempre agregando valor). Ressalte-se, para todos os efeitos, que essa conjunção,  ao valorizar pessoas, tem o foco voltado para qualidade, aprendizado constante e aprimoramento contínuo por meio de eficiência e produtividade.

Não é incomum, sob a perspectiva Agile, que equipes de desenvolvimento disponham de escopos fechados. Mas enquanto o trabalho cotidiano é realizado com agilidade, o Lean faz com que esses ciclos curtos de entrega agreguem valor ao cliente ao eliminar desperdícios no processo.  Em outras palavras, pode-se dizer que é o melhor de dois mundos.

Ouros aspectos dos resultados decorrentes da utilização das duas abordagens: entregas frequentes, transparência, controle de custos, comunicação e redução de riscos em meio a equipes multifuncionais compostas por profissionais capacitados para assumir qualquer posição em um projeto, bem como lidar com diversas tarefas sem grandes dificuldades..

Porque em um mundo no qual aquilo que era uma revolução em termos de modelo de negócio na sexta já se tornou obsoleto no domingo, é preciso assumir uma nova postura e se reinventar. Torna-se necessário empreender uma mudança de cultura, já que as maneiras tradicionais não atendem aos anseios do mercado. Isso significa mudar o mindset das equipes para que abracem novas filosofias, novas abordagens – como Lean e Agile. A outra alternativa é perder o “timing” do mercado.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicações