Post Solutis experiencia do consumidor 2021_blog 750x500
A experiência do consumidor comanda o digital
setembro 8, 2021

Um roadmap para uma Transformação Digital bem sucedida

2021 solutis post tranformacao digital ROADMAP_Blog 750x500

Em primeiro lugar, transformação digital é o processo de evoluir modelos de negócios, otimizar processos e melhorar a experiência de consumidores e usuários. Ou seja, estamos falando de um programa contínuo e não de um projeto. Estamos falando de algo para se pensar e repensar diuturnamente. Portanto, este artigo serve também para você que já atingiu um estágio mais avançado nessa jornada digital.

É uma jornada infinita por tratar-se de estabelecer um maior nível de competitividade, descobrir oportunidades de melhoria, novas necessidades e, como efeito, implementar mais soluções digitais, incorporar mais tecnologias emergentes.

Estágio atual da Transformação Digital

Antes de evoluirmos na direção do nosso roadmap, vamos dar uma olhada em como evoluiu a maturidade digital e o processo de transformação digital. No último ano, avançar no digital foi uma pré-condição para manter-se vivo. O foco era criar uma base de resiliência para as operações, as vendas e o atendimento ao cliente.

Um estudo recente da Forrester sobre “Digital Business Maturity” apontou que acelerar a jornada digital é considerada a principal prioridade atualmente pelos executivos das empresas consultadas. O estudo aponta ainda que as empresas mais maduras digitalmente adquiriram maior resiliência, capacidade de se adaptar e de inovação que seus concorrentes com menor maturidade.

A Forrester divide as empresas em três grupos de maturidade digital: iniciante, intermediário e avançado. Antes da pandemia e agora, em 2021, o percentual de empresas em estágio avançado permanece abaixo de 20%. A consultoria analisa que, apesar das pressões que a Covid-19 exerceu sobre os negócios, as empresas iniciantes e intermediarias não conseguiram alçar sua jornada para o patamar das empresas avançadas digitalmente.

Dois pontos são apontados como determinantes nesse ambiente. O primeiro é uma capacidade ou disposição de investir crescentemente na transformação digital – característica das empresas avançadas.

O outro é a maior capacidade das avançadas em aproveitar-se melhor da capacidade de parceiros e de sua cadeia de valor. De acordo com os analistas da Forrester, essa capacidade de colaboração mantém as empresas avançadas na liderança do digital e alinhada com as necessidades futuras.

E o que caracteriza as empresas avançadas na transformação digital?

A Forrester aponta cinco capacidades-chave:

  1. Uso maior de Cloud
  2. Trabalhar com soluções e em colaboração com terceiros
  3. Envolver consumidores mais cedo nos projetos
  4. Usar Design Thinking
  5. Utilizar processos ágeis

Um roadmap para sua Jornada Digital

Como comentamos no início deste artigo, a transformação digital não tem um ponto inicial ou um “milestone” final a ser definido. Pelo contrário, é um “mindset” da empresa e seus líderes de evoluir continuamente, adaptar-se a novas demandas de seus clientes e mercados, aumentar resiliência, reduzir custos e aumentar vendas. Tudo isso com o uso de novas tecnologias.

Não existe fórmula milagrosa ou bala de prata. Mas, essa transformação digital não precisa ser avassaladora, radical, revolucionária e custosa. É possível e preciso que seja incremental e evolucionária.

E se pudéssemos alinhar alguns passos para evoluir em sua jornada digital, possivelmente elencaríamos o seguinte:

1) Seja “Customer Centric” e “People Centric”

É fundamental deixar de ser focado em produto e em tecnologia. É preciso ter o foco do cliente, ser empático e tentar enxergar como ele. Para ter sucesso é preciso um forte entendimento dos anseios e necessidades dos clientes. É preciso ainda envolver pessoas. Do seu time, de terceiros, o próprio cliente não só para obter esse correto entendimento, como também para gerar mais e melhores insights.

2) Implementar uma organização ágil e afeita a mudanças

A transformação digital precisa de uma estrutura organizacional “Lean”e “Agile”. Romper silos internos, diminuir a distância entre líderes e liderados; criar uma cultura de transparência e colaboração é condição sine qua non.

 3) Definir a sua Visão

Sair comprando tecnologia, correr para codificar pode ser uma grande decepção e, certamente, um grande desperdício de tempo e recursos. É preciso criar antes uma visão em alto nível. Responder qual é o propósito da sua marca e, derivando disso, qual a experiência que deseja oferecer. Com uma visão clara, você poderá enxergar melhor quais são as lacunas que a Transformação Digital irá preencher na sua estratégia e como a tecnologia pode amparar essa jornada.

4) Analise seus processos, identifique as ferramentas que já tem

Com uma visão clara e lacunas identificadas, é hora de descer um degrau para identificar os processos-chave dessa experiência que você quer oferecer. Quais os GAPs que você identifica nesses processos; quais recursos e sistemas que funcionam hoje. Quais não funcionam tão bem? Por que não funcionam? Tudo isso sendo feito, é claro, com as missões 1 e 2 já cumpridas em grande parte.

5) Pense em diversas dimensões da sua transformação

A transformação digital envolve processos e públicos internos e externos. É preciso olhar para os processos, o modelo de negócios sob diversos prismas. Poderíamos pensar em seis, por exemplo:

  1. Employeer Experience

  2. Customer Experience

  3. Logística e Supply Chain

  4. Segurança e Privacidade de Informações

  5. Digitalização de Processos

  6. Evolução de Produtos e Serviços

6) Escolha suas armas

Para cada desafios ou cada projeto, é preciso fazer suas escolhas de tecnologia e estabelecer os atores, incluindo parceiros, que poderão colaborar, integrar-se na solução.

7) Defina as métricas

Sem novidade. Já temos um mapa das necessidades, dos projetos. É preciso goals, métricas. Novamente, a recomendação é pensar de forma incremental e com metas pé no chão – nenhuma equipe vai mudar o mundo em alguns meses.

Se não enxergava assim, é bom começar a pensar que a transformação digital é um processo contínuo e que não é simples. Não basta adotar a ferramenta A ou implementar a tecnologia B. Focando os clientes e usuários, criando um mapa para sua evolução digital e estabelecendo prioridades e metas, certamente seu progresso será grande e visível.

 

Publicações